quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Abandono



Te descobri em meu abandono
Pra te dar um pouco de vida
Já que estavas morto
Morto de medo e sem saída.

De um longo adormecer saíste
Em terra firme a cambalear
Teus passos firmes, mas tristes
De sonhos que não queres despertar

Desci ao porão dos sentimentos
Numa busca infinda te encontrei
Se viste não sei
Meu coração te entreguei

De verdades abri meus segredos
Te ofereci meu corpo ao abrigo
Te aninhaste ao meu colo despido
E nas caricias ouvi teu gemido.














Um comentário: